LIGUE GRÁTIS: 0800 878 3169

Qual é a diferença de cupom fiscal e nota fiscal?

qual-e-a-diferenca-de-cupom-fiscal-e-nota-fiscal

Embora essenciais e comumentes confundidos, cupom fiscal e nota fiscal são dois documentos diferentes e o conhecimento básico sobre cada um destes pode diminuir dores de cabeça desnecessárias para clientes e empresários na hora de sua emissão. Afinal, você saberia dizer qual deles é mais prático de ser emitido? E qual dos dois está muito mais relacionado com a parte de gestão da loja?

Caso você seja gestor de uma empresa, cliente ou simplesmente tenha se deparado com este artigo e esteja em dúvidas com cada uma das definições, basta continuar a leitura para aprender de forma prática e direta. Vamos lá?

Cupom Fiscal

O cupom fiscal nada mais é do que o famoso “comprovante de venda” destinado ao consumidor final de qualquer compra realizada em meio ao setor varejista.

Emitido digitalmente e impresso por ECF (Emissor de Cupom Fiscal), o documento é breve, prático e direto, apesar de completo. Embora maiores informações – dados pessoais do cliente, por exemplo – não façam parte do seu esqueleto, é de praxe a identificação de pontos como:

1 – Nome da empresa em que a compra foi efetuada; 
2 – Local; 
3 – Data e horário; 
4 – Descrição do(s) produto(s); 
5 – Forma de pagamento; 
6 – Valor total da mercadoria; 
7 – Troco; 
Além de comprovar de forma sistemática o fluxo de transações dentro da determinada loja, o comprador acaba tendo, igualmente, uma forma de convalidar com precisão a transação comercial cometida.
Em adequação a um mundo cibernético, algumas empresas já adotaram o uso de técnicas online, onde o próprio comprovante fiscal é enviado automaticamente para o comprador por meio do seu endereço de e-mail, podendo ser conferido em qualquer dispositivo conectado à internet.

Nota Fiscal

Muito mais completa e obrigatória para qualquer negócio de grande porte, a nota fiscal é um documento embasado nas informações de transições comerciais e é o ponto de partida para a tributação destas mesmas empresas.
Seu esqueleto é formado pelos seguintes dados:
1 – Dados da empresa; 
2 – Descrições precisas do(s) produto(s); 
3 – Data e horário; 
4 – Valor; 
5 – Forma de pagamento; 
6 – Impostos e tributos da mercadoria; 
7 – Identificação e informações básicas do cliente; 
8 – Dados da transportadora; 

Feita por um sistema gestor digital, a nota fiscal eletrônica surgiu como um projeto governamental federal focado na fiscalização de empresas e pode ser categorizada em duas categorias: NFe (comprova transações diretas ao consumidor final) e NFCe (operações de devolução, exportação, entre outras).

Ainda sobre a parte burocrática, a emissão da nota fiscal eletrônica serve também como comprovante do pagamento de tributos e percentuais para o governo. Geralmente aconselha-se que sejam arquivadas pelo período mínimo de 5 anos, a fim de evitar transtornos indesejados.
E agora? Conseguiu entender bem a diferença entre cada um dos documentos? Se você é dono de uma empresa de pequeno ou médio porte e está em busca de um sistema de gestão e emissão fiscal eficiente, completo e intuitivo, não deixe de preencher nosso formulário e entrar em contato com nossa equipe especializada. Teremos o prazer em ajudar você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale pelo whatsapp

Este site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar" você concorda com o uso de cookies. Saiba mais acessando nosso termo de uso.

voltar ao topo